Veja o que pode funcionar em Aracaju a partir desta quinta

O prefeito Edvaldo Nogueira anunciou, na manhã desta quarta-feira, 17, o novo decreto municipal de enfrentamento ao coronavírus com a manutenção das medidas de distanciamento social, mas que se adequa ao plano de flexibilização, estabelecido pelo Governo do Estado.

Segundo o gestor, permanece suspenso, até o dia 24 de junho, o funcionamento de academias, teatros, cinemas, shoppings centers, casa de shows, bares, assim como a realização de eventos e atividades em parques, praias e demais áreas de lazer da cidade. Toda a rede de ensino continua com atividades suspensas até 30 de junho. O uso obrigatório de máscara pela população em locais públicos também está mantido. O novo decreto também recomenda o não acendimento de fogueiras em comemoração aos festejos juninos.


Ana Lícia Menezes / PMA

Em relação ao plano de retomada econômica, seguindo o decreto estadual, estão autorizados a funcionar, a partir desta quinta-feira, 18, escritórios de engenharia e arquitetura, concessionárias de veículos, imobiliárias, comércio de eletrodomésticos, eletrônicos, comunicação, informática, equipamentos de áudio e vídeo, além de lojas de móveis e colchões. O documento estabelece também critérios para a abertura gradual da economia no Estado, separados por etapas e cores. A primeira fase, intitulada de ‘bandeira laranja’, está prevista para ser iniciada na próxima semana, mas dependerá da taxa de ocupação dos leitos de UTI, que deve ser inferior a 70%, na data. Nesta etapa, que pode começar no dia 23, estão incluídos demais escritórios de prestadores de serviços e serviços em geral (publicidade, agências de viagens e etc); clínicas e consultórios de odontologia, fisioterapia, fonoaudiologia, nutrição, psicologia, terapia ocupacional e serviços especializados de podologia; comércio (alguns setores); operadores turísticos; atividades de treinamento de desporto profissional; salões de beleza, barbearias e de higiene pessoal; e templos e atividades religiosas (30%). “Vamos iniciar o processo de flexibilização, compatibilizando o nosso decreto com o estadual, anunciado nesta semana,  mas acompanharemos com muito cuidado e atenção os dados e a evolução da doença em Aracaju para irmos definindo as medidas. Além disso, reforçaremos a fiscalização para garantir que os decretos sejam cumpridos. Volto a dizer que o sucesso desta nova etapa dependerá, principalmente, do comportamento da população, que precisa entender a necessidade do distanciamento social. É preciso que as pessoas entendam que poderão sair, mas que terão que respeitar o distanciamento, que continuarão usando máscaras, e que precisam manter todas as medidas de higiene. Tudo isso será importante para que o processo de reabertura, de fato, aconteça. Aproveito para pedir também aos donos de empresa, comerciantes, que adotem as medidas necessárias para que a reabertura aconteça de forma segura para todos. Essa é a hora do Governo, Prefeitura, sociedade e empresários se unirem”, destacou o prefeito.


Fogueiras


Edvaldo também ressaltou o trabalho conjunto da Prefeitura e Governo do Estado para estruturar o sistema de saúde, com a ampliação dos leitos de retaguarda e UTI, o que possibilita, segundo o gestor, o início desse processo de retomada, mas de forma “lenta e gradual”. “Juntos, Prefeitura e Governo, temos nos esforçado para avançar na estruturação do sistema de saúde, com a ampliação dos leitos de retaguarda e de UTI. Continuamos registrando um aumento da doença, na taxa de ocupação dos leitos, mas seguimos trabalhando de maneira incansável para garantir um atendimento digno para os pacientes diagnosticados com a covid-19”, frisou. O prefeito reiterou ainda que “cada novo passo só será dado mediante análise dos dados”. “O processo de retomada das atividades será lento, gradual e terá como base os estudos científicos”, reforçou.  O prefeito também explicou os motivos que levaram a Prefeitura a incluir no decreto a recomendação para o não acendimento de fogueiras na comemoração aos festejos juninos. “O coronavírus ataca principalmente os pulmões e a fumaça pode provocar o agravamento do quadro, porque aumenta a incidência de doenças respiratórias. Então estamos recomendando aos aracajuanos que não acendam fogueiras e nem fogos de artifício em comemoração aos festejos juninos. Peço que cada um, pela sua consciência, nos ajude. E esse é um apelo que quero reforçar porque até mesmo esse processo de reabertura vai depender do empenho da sociedade”, justificou. 


Discussões 


As decisões foram tomadas em mais uma reunião do Comitê de Operações Emergenciais (COE), ocorrida nesta quarta. No encontro, o secretário da Fazenda, Jeferson Passos, explicou as adequações feitas no protocolo de reabertura municipal a partir do plano estadual. Ele afirmou que o processo de retomada da atividade econômica apresentado pelo governador Belivaldo Chagas no início desta semana está em consonância com o plano estabelecido pelo município. O secretário ressaltou que a reabertura se dará considerando a taxa de ocupação dos leitos hospitalares e da taxa de crescimento dos casos em Aracaju. A capital continua no estado de “Alerta II”, com ocupação de UTIs variando entre 50% e 70% e taxa de crescimento de contaminação entre 3% e 15%.


Já a secretária da Saúde, Waneska Barboza, expôs o boletim do coronavírus na cidade, com os dados atualizados até a terça-feira, dia 16.  São 9.849 casos confirmados, com 160 óbitos. Há 226 pessoas internadas nas redes pública e particular. Destas, 73 estão nos leitos municipais de retaguarda, o que representa uma taxa de ocupação de 64%.


“Decretos foram fundamentais” 

O professor da Universidade Federal de Sergipe, Paulo Martins, que também participou da videoconferência, voltou a afirmar que “as medidas de distanciamento adotadas, desde março, pelos decretos estadual e municipais contribuíram imensamente para que o Estado e os municípios pudessem estruturar seus sistemas de saúde”. “Numa pandemia desta magnitude, não há sistema de saúde em nenhuma parte do mundo preparado para absorver uma quantidade tão grande de pacientes. Sergipe em comparação a outros estados se encontra numa situação de relativo conforto”, declarou.  Ele apresentou o estudo de “Evolução dos óbitos por covid-19 em Aracaju”, desenvolvido na UFS. Segundo o levantamento, o coronavírus tem maior taxa de incidência em bairros das zonas Leste e Sul, enquanto as maiores taxas de mortalidade se concentram na zona Norte. Corroborando com opinião apresentada pelo prefeito, o professor Paulo Martins disse que os agentes de saúde serão fundamentais nesta nova etapa do enfrentamento ao coronavírus, “nesta visitação mais intensa nos domicílios no sentido de orientar, ajudar e priorizar a população mais em risco”, declarou. 


Por NE

mande sua sugestão, foto e vídeo para nosso whatsapp:

79 99979-2283

pesali_foto_2.jpg

William Pesali

Contato: 79 99979-2283

email: avozdosmunicipios@gmail.com

Confira nossas mídias sociais! 

  • Instagram - White Circle
  • White Facebook Icon

© Copyright 2021 -  A Voz dos Municípios