Sara Winter diz que se recusa a depor à PF: "Não vou nessa bosta"

A apoiadora do presidente Jair Bolsonaro informou pelas redes sociais que foi intimada a depor dentro de dois dias. Na última quarta-feira, ela fez ameaças ao ministro do STF Alexandre de Moraes

A apoiadora do presidente Jair Bolsonaro afirmou, nas redes sociais, nesta segunda-feira (1º/6), que foi intimada pela Polícia Federal a prestar depoimento. Sara, no entanto, disse que não cumprirá a ordem. 


"A PF acabou de sair da minha casa, entraram ILEGALMENTE, NÃO SE IDENTIFICARAM e vieram deixar uma intimação pra depor daqui a 2 dias, EU NÃO VOU! Vão me prender? Me tratar como bandido? Vão ter q se prestar a isso!", escreveu em sua conta no Twitter.

A organizadora do movimento 300 do Brasil também gravou um vídeo em que diz se recusar a obedecer a intimação. "Eu vou incorrer em crime de desobediência porque eu me nego a ir nessa bosta. Eu não vou!", grita nas imagens.


Na quarta-feira (27/3), Sara foi um dos alvos de operação da PF determinada pelo ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), que investiga o disparo ilegal de fake news e ameaças dirigidas à Corte. Na ocasião, Sara gravou um vídeo ameaçando Moraese dizendo que gostaria de trocar soco com o ministro.

Sara Winter mudou-se para Brasília e se tornou uma das lideranças do grupo 300 do Brasil, que acampou em frente ao STF. O grupo já foi chamado de "milícia armada" pelo Ministério Público do Distirto Federal e Territórios, que recomnedou ao Governo do Distrito Federal a proibição de o grupo continuar se reunindo no local.


Por correiobraziliense

instagram-icone-icon-1.png
Whatsapp-Imagens-Png-zg9Ts7.png
logo-facebook-transparente2.png

A VOZ DOS MUNICÍPIOS