Reabertura: Secretaria diz que governo pode adiar 2ª fase

O Governo do Estado ampliou, neste sábado (4), o número de leitos de UTI exclusivos para pacientes com a Covid-19 no Hospital de Urgência de Sergipe (Huse). Agora, são 50 leitos para pacientes com diagnostico grave da doença.

“Com planejamento e organização estamos conseguindo aumentar o nosso número de leitos para pacientes vítimas da Covid-19. Inicialmente, instalamos 10 leitos de UTI exclusivos para pacientes com coronavírus. Ao logo do tempo, com o aumento dos casos e com a redução na ocupação de leitos não Covid, principalmente pela

diminuição de traumas, conseguimos fazer uma reengenharia e direcionar esses leitos para pacientes graves com coronavírus.


Tínhamos 10, ampliamos para 27 e, neste fim de semana, conseguimos ampliar para 50 leitos de UTI exclusivos” explicou o diretor técnico do Huse, Wagner Andrade.


Ainda de acordo com Wagner Andrade, há previsão de mais quatro leitos de UTI não Covid serem direcionados para assistência a pacientes em estado grave da Covid. “Ampliaremos, assim, para 54 leitos de UTI exclusivos” concluiu.


A ampliação no número de leitos de UTI no Hospital de Urgência de Sergipe reforça a assistência na rede pública do estado. No momento, Sergipe conta com 188 leitos de UTI nos hospitais públicos do Estado. A meta é atingir um total de 221 novos leitos exclusivos para enfrentamento a pandemia.


Na próxima semana, há previsão de abertura de mais 18 novos leitos de UTI, sendo 10 no Hospital Universitário de Lagarto e oito no Hospital Regional de Estância. É prevista, ainda, a abertura de novos leitos de UTI no Hospital de Cirurgia (10 leitos), Hospital de Nossa Senhora da Glória (10 leitos) e na Hildete Falcão (7 leitos de UTI).


Mudança de fase pode não acontecer

Apesar da ampliação no número de leitos de UTI, a mudança para próxima fase do Plano de Retomada da Economia pode não acontecer. A taxa de ocupação de leitos é uma das condicionantes para o avanço na flexibilização do comércio.

Para a primeira fase ( laranja), a ocupação média dos 14 dias que antecederam o anúncio da abertura foi em torno de 68%, portanto abaixo dos 70% previstos. A segunda fase (amarela) também usará como gatilho a média dos 14 dias. A taxa de ocupação de leitos não pode ultrapassar 60% a contar do último dia 29 de junho até o dia 13 de julho. Já para avançar para a última fase (verde), a meta é 50% de ocupação dos leitos de UTI.


ne notícias

instagram-icone-icon-1.png
Whatsapp-Imagens-Png-zg9Ts7.png
logo-facebook-transparente2.png

A VOZ DOS MUNICÍPIOS