Professor da Unit é o primeiro brasileiro a assumir um cargo na Sociedade Mundial de Anatomia

Cirurgião cardiovascular, com residência básica em cirurgia geral pelo Hospital das Clínicas (HC-FMUSP) e residência especializada pelo Instituto do Coração (InCor-HC-FMUSP), Doutor em Ciências Morfofuncionais: Estrutura e Ultra-Estrutura pelo Departamento de Anatomia do Instituto de Ciências Biomédicas da Universidade de São Paulo (ICB-USP). Docente licenciado do curso de Medicina de Bauru (FOB-USP), é membro integrante da Comissão de Acompanhamento e Monitoramento de Escolas Médicas (CAMEM); da Sociedade Mundial de Anatomia; sócio da Associação Brasileira de Educação Médica e membro titular do Colégio Brasileiro de Cirurgiões.

Este currículo, semeado ainda na Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP), lapidado ao longo de 25 anos de atuação, revela um pouco da vida e trajetória do Richard Halti Cabral, coordenador e professor do curso de Medicina da Universidade Tiradentes – Unit Sergipe, que ainda se dedica à docência na Universidade de São Paulo (USP) e à Medicina no Hospital Alemão Oswaldo Cruz, também na capital paulista. Para ele, a faculdade de Medicina sempre foi um sonho e ser formado pela USP era o ápice da realização. Com apenas 16 anos, Richard Halti Cabral emplacou o nome na lista de aprovados. “O dia do anúncio da aprovação foi um dos momentos mais felizes da minha vida! Foi uma conquista que eu devo muito aos meus pais, em especial a minha mãe que ficava na marcação para que estudássemos. Eu sabia que a única chance de fazer uma faculdade era me dedicando aos estudos. E precisava ser numa faculdade pública porque meus pais não tinham posses”, revela. Durante toda a faculdade, Richard sempre se identificou com as áreas de anatomia e cirurgia. Já no primeiro ano, durante as férias, se engajou em iniciação científica que oferecia uma bolsa estudo. “Tive uma oportunidade no Instituto do Coração para fazer pesquisa mais voltada para prática clínica. Do segundo ano em diante, ganhei bolsas de iniciação científica e isso garantia o sustento. Como era um curso público, o dinheiro que ganhava investia em cursos de línguas. No final do quarto ano, tive oportunidade de fazer um estágio nos Estados Unidos com esse dinheiro que juntei das bolsas”, disse.


Segundo professor Richard, a residência médica internacional foi um momento extremamente importante da formação. “Existe o antes e o depois da residência. Penso que essa experiência deveria ser obrigatória porque nos amadurece como profissionais e nos oportuniza firmar todo conhecimento. Na faculdade e no internato, a gente cuida de pacientes, mas o responsável não é exatamente você. A visão do todo muda na residência”, lembrando que o aluno de Medicina da Unit Sergipe tem a oportunidade de vivenciar esse tipo de experiência internacional por meio do Programa Clinical Experience Abroad: Clerkship for Medical Students, em Boston. Medicina Unit Sergipe


A Unit, que mantém um forte foco na internacionalização e inovação, foi a primeira Instituição de Ensino Superior de Sergipe e do Nordeste a firmar parceria educacional na área de saúde com o o Hospital Alemão Oswaldo Cruz - HAOC. “Essa parceria com a Unit reflete a possibilidade de o aluno conviver em um ambiente onde a Medicina é feita de uma forma completa. Trabalhamos com muita dedicação e carinho e percebemos o reconhecimento não só da Instituição, mas dos organismos federais e estaduais”, revelou. O corpo docente do curso de Medicina da Unit Sergipe é composto por mestres e doutores que vivenciam a prática da profissão e buscam contribuir para o avanço da ciência. Outro grande diferencial está relacionado à infraestrutura com destaque para o complexo de modernos laboratórios, destinado a práticas em disciplinas. O Centro de Simulação Realística possibilita melhor capacitação em relação ao atendimento clínico e de urgência.


Por meio do modelo de ensino de Aprendizagem Baseada em Problemas, conhecido como PBL (sigla em inglês), referência mundial, desde o primeiro período do curso o aluno passa a praticar o que é aprendido em sala de aula, além das atividades de extensão junto à comunidade e projetos de pesquisa científica.


“Aliamos desde o início do curso questões relacionadas à prática profissional. A contextualização faz com que o aluno compreenda a importância de determinados assuntos e o aprendizado seja mais efetivo. Nos laboratórios, conseguimos ter recursos didáticos necessários para montar os diversos cenários de ensino”, ressalta o coordenador Richard Cabral.


Reconhecimento Atualmente, Dr. Richard divide a agenda entre a docência na Unit Sergipe e atendimentos médicos no HAOC; integra ainda a seleta lista da CAMEM, órgão que tem como objetivo verificar nas escolas de Medicina abertas pelos vários editais, se todos os trâmites pactuados com o Ministério da Educação estão sendo cumpridos. Dr. Richard foi o primeiro médico brasileiro a assumir um cargo na Sociedade Mundial de Anatomia e recentemente foi empossado como membro titular do Colégio Brasileiro de Cirurgiões.





Da Ascom

instagram-icone-icon-1.png
Whatsapp-Imagens-Png-zg9Ts7.png
logo-facebook-transparente2.png

A VOZ DOS MUNICÍPIOS