"Picareta" e "Pepa": Eduardo Bolsonaro e Joice Hasselmann se ofendem nas redes sociais

Ambos do PSL, filho do presidente Jair Bolsonaro e ex-líder do governo têm feito acusações desde que Joice assinou lista que apoiava outro deputado para liderança do partido na Câmara.

Eduardo chamou Joice de “Pepa”; a deputada reagiu: “Menininho nem-nem: nem embaixador, nem líder, nem respeitado. Um zero à esquerda.”


O sábado (19) foi marcado por uma troca de ofensas mútua, nas redes sociais, entre os deputados federais por São Paulo Eduardo Bolsonaro e Joice Hasselmann, ambos do PSL.


O clima entre ambos, que já foi de confronto em outras oportunidades durante o ano, descambou de vez face às acusações trocadas entre o filho do presidente Jair Bolsonaro e a ex-líder do governo no Congresso Nacional desde que ela assinou uma lista que apoiava outro deputado, o Delegado Waldir (PSL-GO), para a liderança do PSL na Câmara.


Ao comentar uma publicação de Joice nesse sábado, Eduardo publicou a mensagem: "#DeixeDeSeguirAPepa".


Pela hashtag, uma provocação à deputada, o parlamentar sugeria aos seguidores que deixassem de seguir Joice nas redes ao compará-la à personagem de desenho animado Peppa Pig.


A deputada contra-atacou: "Picareta! Menininho nem-nem: nem embaixador, nem líder, nem respeitado. Um zero à esquerda. A canalhice de vocês está sendo vista em todo Brasil".


Na sequência, Joice fez outra publicação: "Robôs, neuróticos e paus-mandados se vão com a campanha do filhote nem-nem @BolsonaroSP contra mim. Tem dinheiro público nisso? O gabinete da maldade está empenhado? Aqueles perfis fakes tbm? Não tenho medo de vc, moleque. Olha aí, a maioria esclarecida sabe o q tá acontecendo".

A semana foi tensa para o PSL, que enfrenta uma crise envolvendo o Palácio do Planalto, o comando do partido e a bancada no Congresso.


Há dez dias, a crise se agravou quando o presidente Jair Bolsonaro se dirigiu a um apoiador e o pediu para "esquecer" o PSL porque Luciano Bivar, presidente da legenda, estaria "queimado para caramba".


O episódio rachou a bancada do partido na Câmara entre alas que apoiam Bolsonaro e Bivar. O líder do partido na Câmara, Delegado Waldir, chegou a dizer que iria "implodir" o presidente da República. Em seguida ele recuou, depois afirmou ser uma "vagabundagem" Bolsonaro tentar tirá-lo do posto.


Também no sábado, mas mais cedo, o deputado federal Luiz Lima (RJ) escreveu também nas redes sociais que havia sido destituído do posto de vice-líder do PSL na Câmara. O parlamentar integra o grupo aliado a Bolsonaro e assinou a lista que apoiava Eduardo para o lugar de Waldir, da ala pró-Bivar.



por yahoo

instagram-icone-icon-1.png
Whatsapp-Imagens-Png-zg9Ts7.png
logo-facebook-transparente2.png

A VOZ DOS MUNICÍPIOS