Hemose registra preocupação com baixo estoque de bolsas de sangue

O Centro de hemoterapia de Sergipe (Hemose) registra baixo estoque de bolsas de sangue. Embora tenha funcionado normalmente durante a quarentena, a quantidade de doadores teve uma queda brusca causada pelo não comparecimento da população. A expectativa é que a flexibilização do isolamento social possa trazer de volta a presença de todos os tipos sanguíneos para atender a demanda, como relatou a assessoria do órgão em tom de preocupação.

Para a equipe de reportagem do portal A8SE, a assessora do Hemose Rosângela Cruz conta que não chegou a ter um desabastecimento no hemocentro: “Justamente porque as cirurgias eletivas, aquelas que podem ser adiadas e não possui urgência na realização foram pausadas nesse período. E os acidentes de trânsito, que geralmente demandam bastante bolsas de sangue do estoque, chegaram a quase zero”.


Ela relatou ainda que “geralmente os sangues de fator negativo estavam sempre em falta e algumas campanhas eram justamente para esses tipos específico, mas no momento atual os positivos estão no mesmo nível de necessidade”, contou.

Durante a pandemia vários serviços precisaram ser pausados para o bem da população, o Hemose, no entanto, não foi um deles. Antes disso, o órgão registrava uma média de 100, 120 doações por dia. Agora, por exemplo, a média é de 50, considerado muito baixo.

Funcionamento

O Hemose segue funcionando normalmente, entretanto por causa da pandemia do Coronavírus, alguns cuidados especiais estão sendo tomados. Como as cadeiras sinalizando onde pode e não pode sentar, para manter o distanciamento social, e o álcool em gel dentro do hemocentro.

Além dos já conhecidos requisitos para fazer a doação, como ter entre 16 e 69 anos de idade, pesar acima de 50kg, estar bem de saúde, ter dormido pelo menos 6h na noite anterior e estar sem consumir bebidas alcoólicas ah pelo menos 12h, o Hemocentro adicionou também dois cuidados especiais oriundos da pandemia.

O primeiro é para pessoas que tiveram contato com pessoas infectadas com o coronavírus é necessária uma espera de 30 dias até poder doar sangue. Já para as pessoas que testaram positivo para a Covid-19, o intervalo é de 90 dias.

A assessora conta ainda que as campanhas do Hemose pedindo doação não pararam, mas que aguarda os meses de outubro e novembro onde a flexibilização deve chegar em 80%. O órgão deve lançar uma nova ação para renovar o banco de sangue e, consequentemente, dar continuidade às cirurgias eletivas que aguardam a melhora no estoque.

instagram-icone-icon-1.png
Whatsapp-Imagens-Png-zg9Ts7.png
logo-facebook-transparente2.png

A VOZ DOS MUNICÍPIOS