Heleno chama de "injusta agressão" declaração de Gilmar sobre o Exército

O general Augusto Heleno, chefe do Gabinete de Segurança Institucional, reagiu, nesta segunda-feira (13), às declarações do ministro Gilmar Mendes sobre a participação de militares nas ações relacionadas a pandemia de coronavírus. O magistrado afirmou que o "Exército Brasileiro está se associando a um genocídio".

Gilmar se referiu a participação de militares no Ministério da Saúde, que ocupam funções e cargos que não tem relação com suas formações. O próprio ministro interino da saúde, Eduardo Pazuello, não tem formação médica nem experiência no setor, mesmo estando a frente das ações de enfrentamento a pandemia que atinge o


Brasil e o mundo. "Não podemos mais tolerar essa situação que se passa no Ministério da Saúde. Não é aceitável que se tenha esse vazio. Pode até se dizer: a estratégia é tirar o protagonismo do governo federal, é atribuir a responsabilidade a estados e municípios. Se for essa a intenção é preciso se fazer alguma coisa. Isso é péssimo para a imagem das Forças Armadas. É preciso dizer isso de maneira muito clara: o Exército está se associando a esse genocídio, não é razoável. É preciso pôr fim a isso", pontuou.  


Atualmente, o Brasil tem 71 mil mortos e 1,8 milhão de infectados pelo novo coronavírus. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), Brasil e Estados Unidos concentraram 50% das novas infecções por coronavírus nas últimas 24 horas. Uma nota divulgada pelo Ministério da Defesa e assinada pelo titular da pasta, Fernando Azevedo, rebate as acusações do ministro. "Comentários dessa natureza, completamente afastados dos fatos, causam indignação.Trata-se de uma acusação grave, além de infundada, irresponsável e sobretudo leviana. O ataque gratuito a instituições de Estado não fortalece a democracia", diz um trecho do texto.

O documento é assinado também pelos comandantes do Exército, general Edson Pujol, da Marinha, almirante Ilques Barbosa e da Força Aérea Brasileira, Carlos Bermudez. Em mensagem publicada no Twitter, Heleno declara apoio ao texto publicado pelos demais militares. "Reafirmo meu apoio à Nota Oficial, emitida nesta segunda-feira pelo ministro general de Exército Fernando Azevedo e pelos Comandantes das Forças Armadas, em resposta à injusta agressão sofrida pelo Exército Brasileiro, em entrevista do Ministro do STF Gilmar Mendes", escreveu Heleno.

O Ministério da Defesa afirmou que vai acionar a Procuradoria Geral da República (PGR) contra Gilmar Mendes. A troca de acusações gera uma crise, envolvendo o Executivo, o Supremo e os comandos das Forças Armadas. Procurado pelo Correio para comentar o caso, o ministro Gilmar Mendes disse que não vai se manifestar sobre este assunto.





Correiobraziliense


instagram-icone-icon-1.png
Whatsapp-Imagens-Png-zg9Ts7.png
logo-facebook-transparente2.png

A VOZ DOS MUNICÍPIOS