Funcionários de empresa de telemarketing temem demissão

Uma empresa de telemarketing localizada em Aracaju foi notificada pela Prefeitura Municipal para dar cumprimento às ações de prevenção de transmissão do novo coronavírus, mas, ainda foi pouco. Precisou a justiça ordenar a suspensão das atividades para que os mais de 5 mil funcionários não ficassem expostos aos riscos.

Diante da situação, os funcionários temem agora demissão ou férias coletivas.

A fonte das informações será resguardada nesta matéria, pois, assim como outros colegas, qualquer trabalhador da empresa que decide se posicionar sobre a realidade enfrentada, logo mais recebe punição por meio de demissão.


Segundo foi exposto, somente na última segunda-feira, 23, a empresa dispensou os trabalhadores. “Estávamos trabalhando normal, porém, com espaço entre as cabines. Mas, ontem, 23, eles mandaram todo mundo deslogar e ir embora. Algumas pessoas receberam uma folha para assinar e trabalhar em home office. Eles informaram que o dia seria abonado e que era para aguardar mais informações do supervisor”, conta a fonte.


Até o momento, os trabalhadores não sabem o que vai acontecer, portanto, temem a demissão ou férias coletivas. “Estamos com medo. Por exemplo, eu não tenho computador em casa, como vou fazer o home office?”, questiona, insegura.


Ainda conforme informações da fonte, a polícia esteve na empresa cerca de três vezes. Na primeira, a empresa se preparou como se soubesse que a polícia fosse até lá. “Antes de o Ministério do Trabalho ir lá, eles não estavam cumprindo nada.


E a Prefeitura já tinha anunciado o decreto. Daí, do nada, eles colocaram dispensas em todos os locais, com álcool em gel. Eu acho que eles ficaram sabendo que a polícia ia lá, mas não tiraram as pessoas. E por dois dias, não repuseram o álcool em gel. Quando a polícia teve lá novamente, pela terceira vez, não tinha mais nada”, conta.

A empresa conta com 5.400 empregados, sendo 4.800 operadores de telemarketing. Foi constatado pelo Ministério Público do Trabalho que, em média, 1.600 funcionários trabalham por turno.


“Ontem à noite o supervisor falou que até então hoje, 24, seria suspenso também, e que não tinha posição ainda. Pediu para a gente entrar no portal do colaborador, para atualizar dados cadastrais. Perguntaram se tinha internet em casa ou computador e, até agora, não deram uma posição, se vai ter um home office ou não. Só estão ligando para a gente e dizendo para ficar em casa”, informou a fonte.


A equipe do JORNAL DA CIDADE não conseguiu contato com nenhum responsável pela empresa até o momento.


Jornal da cidade

mande sua sugestão, foto e vídeo para nosso whatsapp:

79 99979-2283

pesali_foto_2.jpg

William Pesali

Contato: 79 99979-2283

email: avozdosmunicipios@gmail.com

Confira nossas mídias sociais! 

  • Instagram - White Circle
  • White Facebook Icon

© Copyright 2021 -  A Voz dos Municípios