Falta de gasolina em aeronave atrasa retorno de homem internado em SP

O retorno a Sergipe do caminhoneiro Evilásio Santos, internado há mais de cinco meses num hospital do interior de São Paulo, segue até o momento sem uma data definida. Segundo a Secretaria de Estado da Saúde (SES), tudo que foi de competência da pasta já foi feito. O atraso da volta do caminhoneiro está ligada à suspensão da venda de gasolina própria para aviação pela Petrobras.

Segundo a SES, o Grupamento Tático Aéreo (GTA) seria o responsável por trazer o caminhoneiro de volta a Sergipe. Mas a aeronave do GTA que iria trazer o sergipano está sem funcionar porque a Petrobras suspendeu o fornecimento de gasolina por encontrar problemas no lote do combustível.

Em nota, a Petrobras afirmou que identificou no referido lote um teor de compostos aromáticos diferente dos lotes até então importados, embora de acordo com os requisitos de qualidade exigidos pela Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). “Estudamos a hipótese da variação da composição química ter impactado os materiais de vedação e revestimento de tanques de combustíveis de aeronaves de pequeno porte”, informou a estatal.


Embora tenha ocorrido esse revés, a SES afirma que estuda outras possibilidades para trazer o caminhoneiro de volta ao estado.

Agressão em São Paulo

Evilásio Santos foi espancado há cerca de quatro meses na cidade de São Paulo. Após a violência, o sergipano foi internado em um hospital no município de Itaquaquecetuba, onde chegou a ficar em coma induzido.

Após orientação da equipe médica para que ele seja cuidado em casa, familiares do caminhoneiro fizeram  um apelo a SES para conseguir trazê-lo de volta a Sergipe, já que o custo do transporte aéreo com UTI é caro.



por infonet

instagram-icone-icon-1.png
Whatsapp-Imagens-Png-zg9Ts7.png
logo-facebook-transparente2.png

A VOZ DOS MUNICÍPIOS