Delegado do caso Marielle acusado de corrupção

O delegado federal Hélio Khristian é acusado de ter montado uma ‘central de mutretas’ na Superintendência da PF no Rio de Janeiro. A informação faz parte de relatório sobre obstruções na investigação do assassinato da vereadora Marielle Franco (PSOL) e do motorista Anderson Gomes.

Segundo reportagem do portal UOL, HK –como é conhecido o delegado– usou intermediários para tentar extorquir a quantia de R$ 300 mil do vereador Marcello Sicilliano (PHS-RJ).


O delegado foi acusado pela PGR (Procuradoria Geral da República) de atrapalhar as investigações sobre a morte de Marielle Franco. Segundo o relatório, ele e outros 2 colegas levaram o policial militar Rodrigo Jorge Ferreira –conhecido como Ferreirinha– a prestar depoimento com falso testemunho à DH da Capital (Delegacia de Homicídios do Rio). Ferreirinha também é acusado de obstruir as investigações, bem como a advogada Camila Nogueira.


Ferreirinha apontou Marcelo Sicilliano e o miliciano Orlando Oliveira de Araújo (Orlando Curicica) como mandantes do assassinato de Marielle. Posteriormente, ele admitiu ter mentido.


Os atos de corrupção atribuídos a Hélio Khristian foram informados à Superintendência da PF no Rio de Janeiro para que “medidas cabíveis” fossem adotadas, segundo o delegado federal Leandro Almada, responsável pela investigação sobre a obstrução no caso Marielle.


Por Uol

instagram-icone-icon-1.png
Whatsapp-Imagens-Png-zg9Ts7.png
logo-facebook-transparente2.png

A VOZ DOS MUNICÍPIOS