Chuvas trazem boas perspectivas para a agricultura de Sergipe

Produção deve ser de 4.720 toneladas de feijão e 730 mil toneladas de milho

Os altos índices pluviométricos nas regiões fomentadas pela agricultura têm trazido efeitos positivos na safra de grãos em Sergipe. De acordo com o secretário de Estado da Agricultura, André Bomfim, o primeiro levantamento da Safra de Grãos deste ano, realizado pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) em Sergipe entre 27 e 30 de abril de 2020, aponta para uma perspectiva de produção de 4.720 toneladas de feijão e 730 mil toneladas de milho.

A safra de arroz se encerrou em março e a nova safra se inicia agora em junho. “Em todos os três casos os dados são equivalentes aos obtidos no fechamento da safra 2019, sendo possível constatar que ainda não foram registrados grandes impactos na produtividade, decorrentes da pandemia. Conforme informações meteorológicas que recebemos da Serhma/Sedurbs, as condições edafoclimáticas (clima e solo) são extremamente favoráveis. Desde a metade abril e maio vem chovendo acima da média; e em junho, julho e agosto a previsão dá conta da manutenção da média pluviométrica que tivemos no ano passado. Isso nos dá uma condição de plantio até melhor do que a que tivemos em 2019”, analisa o secretário. Bomfim afirma que a Seagri já começou a realizar o programa de distribuição de sementes para agricultores familiares. Diferente dos anos anteriores, este ano as sementes foram adquiridas através de parcerias com a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), com o Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (Fida) e com a empresa Di Solo, distribuidora de sementes certificadas. “Tradicionalmente, as sementes eram adquiridas a partir do Fundo Estadual de Combate à Pobreza, cujos recursos, este ano, estão sendo aplicados em ações de enfrentamento à pandemia, como o Cartão Mais Inclusão e, dentro em breve, o Programa de Aquisição de Alimentos”, disse. Ainda segundo o gestor, com todos os cuidados recomendados, a primeira etapa da distribuição começou na última quinta-feira, 28, nos municípios de Canindé de São Francisco e Poço Redondo.

As sementes da primeira entrega foram do lote doado pela Embrapa (800 kg de milho e 800 kg de sorgo). “A segunda etapa para outros municípios vai acontecer agora no começo de junho. Serão mais de 40 toneladas de sementes de grãos distribuídas em diversos municípios, aproveitando o período de plantio. Teremos milho, feijão, sorgo e hortaliças, que são as sementes mais importantes para os nossos agricultores”, destaca André Bomfim.

|Da redação do JC

Ao JORNAL DA CIDADE, o secretário revela que novas ações estão sendo programadas para as próximas semanas, no que se refere ao Programa de Aquisição de Alimentos. Segundo ele, a ideia é a aplicação de recursos para auxiliar os produtores no escoamento da sua produção, dificultada pela pandemia. “A expectativa de safra está boa, mas nossa preocupação maior é o escoamento da produção, sobretudo da produção leiteira. Com a pandemia, o consumo de leite, queijo e derivados caiu bastante. As próprias queijarias e laticínios também estão absorvendo bem menos a produção leiteira. Mas estamos atentos e buscando soluções para minimizar os impactos para os produtores rurais, que são essenciais para garantir a segurança alimentar das cidades”, conclui o secretário da Agricultura, André Bomfim.



Por JC

instagram-icone-icon-1.png
Whatsapp-Imagens-Png-zg9Ts7.png
logo-facebook-transparente2.png

A VOZ DOS MUNICÍPIOS