Bolsonaro diz que suposto vazamento de dados é tentativa de intimidação

Presidente chamou o grupo 'Anonymous Brasil', responsável pelo suposto vazamento, de 'movimento hacktivista', e disse que medidas legais estão sendo tomadas.

O presidente Jair Bolsonaro disse nesta terça-feira (02) que o suposto vazamento de dados dele, de seus familiares e de aliados, foi uma tentativa de intimidação de um grupo que ele classificou de "movimento hacktivista".

"Em clara medida de intimidação o movimento hacktivista 'Anonymous Brasil' divulgou, em conta do Twitter, dados do Presidente da República e familiares", postou o presidente em uma rede social.

O vazamento, criminoso, foi feito pelo grupo de hackers Anonymous Brasil na internet na segunda segunda-feira (1º). Além do presidente, estão entre as vitimas dos ataques seus filhos (o senador Flávio Bolsonaro, o deputado federal Eduardo Bolsonaro e o vereador Carlos Bolsonaro); o ministro da Educação, Abraham Weintraub; a ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos, Damares Alves; o deputado estadual Douglas Garcia (PSL-SP); e o empresário Luciano Hang, apoiador do governo.


Os hackers vazaram supostos dados cadastrais, como endereços e telefones pessoais, além de informações sobre suposto patrimônio dos atingidos.

Pouco depois da publicação, a rede social usado pelo grupo para vazar os dados apagou as postagens e baniu o perfil do Anonymous Brasil, por violar as regras da empresa.

Bolsonaro afirmou que medidas legais estão em andamento para que os responsáveis pelo vazamento sejam punidos.


"Medidas legais estão em andamento, para que tais crimes, não passem impunes", disse.

Mais cedo nesta terça o ministro da Justiça e Segurança Pública, André Mendonça, informou, também por uma rede social, que pediria à Polícia Federal para investigar o caso.


Por G1

instagram-icone-icon-1.png
Whatsapp-Imagens-Png-zg9Ts7.png
logo-facebook-transparente2.png

A VOZ DOS MUNICÍPIOS