12,2 milhões de brasileiros estão desempregados, aponta IBGE

Taxa de desemprego subiu de 12,3% para 13,1% só nas duas primeiras semanas deste mês de julho

Cerca de 733 mil trabalhadores entraram na fila do desemprego só na segunda semana deste mês de julho. Com isso, a taxa de desemprego saltou de 12,3% para 13,1% em apenas 15 dias. A constatação é do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e reflete o impacto da pandemia do novo coronavírus no mercado de trabalho brasileiro.


O IBGE apresentou os dados mais recentes sobre o nível de emprego durante a pandemia nesta sexta-feira (31/07), através da Pnad Covid19. A pesquisa mostra que, no início da quarentena, havia cerca de 9,8 milhões de desempregados no país. Porém, esse número já era de 11,5 milhões no início de julho e saltou para 12,34 milhões já na segunda semana deste mês, devido à crise econômica causada pela covid-19.

Especialistas dizem, no entanto, que o número de desempregados pode ser ainda maior. É que os dados do IBGE também mostram que existem outras 28,3 milhões de pessoas que gostariam de trabalhar, mas não estão procurando emprego. 

E 19,2 milhões desse contingente disseram que não procuraram trabalho por causa da pandemia ou porque acham que não vão encontrar uma ocupação na localidade em que moram. Os especialistas acreditam, portanto, que parte desse pessoal vai voltar a procurar emprego - e, consequentemente, a pressionar a taxa de desemprego - quando o isolamento social e os benefícios que têm ajudado os brasileiros durante a pandemia, como o auxílio emergencial, chegarem ao fim.

Com todos esses trabalhadores fora da força de trabalho, o nível de ocupação brasileira foi de apenas 47,6% na segunda semana de julho - abaixo dos 48,1% vistos no início do mês. A taxa de informalidade também continuou caindo, de 34,2% para 34%.



Por CB

instagram-icone-icon-1.png
Whatsapp-Imagens-Png-zg9Ts7.png
logo-facebook-transparente2.png

A VOZ DOS MUNICÍPIOS